Ser um ignorante ou investir em conhecimento?

Neste final de dezembro, é necessário refletir sobre as metas para o próximo ano. Em qualquer área, há uma meta que pode ser vista como uma suprameta (ou uma meta que possibilita outras metas): buscar o máximo possível de informações relevantes. No Direito, especialmente para a Advocacia, essa meta tem uma relevância ímpar. Viver para[…]

[VÍDEO] 7 técnicas para ler mais de 1 livro por semana

As 7 técnicas para ler mais de 1 livro por semana são: 1. Reserve um horário diário para ler. 2. Ande sempre com um livro físico ou digital. 3. Leia também em pequenos intervalos. 4. Aplique o “solar flaring”. 5. Ouça audiolivros. Utilize o Ubook ou o LibriVox, por exemplo. 6. Exercite a leitura dinâmica.[…]

[VÍDEO] Livro O Criminalista – vol. I

Livro O Criminalista – vol. I Neste vídeo, falo sobre o meu livro O Criminalista (vol. I), que está disponível para venda na Amazon na versão física (veja aqui) e digital (veja aqui). Assinantes no meu curso online (veja aqui) têm acesso à versão digital desse livro. O livro trata de vários temas aleatórios sobre[…]

100 livros que indico aos Advogados Criminalistas

Neste texto, resolvi enumerar alguns dos melhores livros de Direito Penal e Processo Penal que já li. Alguns não são especificamente de Direito, mas ajudam muito na tarefa interdisciplinar que cabe aos Advogados Criminalistas. Daí os livros de Oratória, Filosofia, Criminologia, Literatura etc. Um alerta: apesar dos números, não se trata de um ranking. Deixei[…]

TCC

A minha rotina diária de estudos (e como consigo cumpri-la)

Acredito que o hábito transforma as pessoas. A adoção de um bom hábito produz, a médio prazo, resultados fascinantes. Na minha rotina diária, leio pelo menos um artigo de revista científica e um artigo de algum portal da internet, indicando-os no meu site (veja aqui). Também leio dezenas – em alguns dias leio centenas –[…]

Por que ler?

Escrevo este texto após ler o interessantíssimo artigo do Alexandre Morais da Rosa sobre o “jurista mais ou menos” (leia aqui), em que ele trata daqueles que, quando perguntados se leram a Constituição, o Código Penal ou o Código de Processo Penal, respondem “mais ou menos”. Por que ler? Por que o jurista precisa ter[…]